Programa Cultural, sábado dia 4 de julho na Fundação Lapa do Lobo:

- Inauguração da Exposição de obras pertencentes ao acervo da Fundação Lapa do Lobo- Galeria de Exposições da FLL, 17h00.

- Lançamento do livro: “A PRIMAVERA HÁ DE CHEGAR” de Luís Ramalheira – Auditório da FLL, 17h30.

- Momento musical pelo Grupo de Cavaquinhos da Associação Cultural e Recreativa Passilgueirense de Paços de Silgueiros – Pátio da FLL, 18h00.

- Palestra ” Antigas Sociedades Camponesas entre Mondego e Dão”: a propósito do estudo/escavação da Orca da Lapa do Lobo. Pelo Professor Doutor João Carlos Senna – Martinez, do Centro de Arqueologia (Uniarq) da Universidade de Lisboa – Auditório da FLL, 18h15.

- Momento musical pelo Grupo de Cavaquinhos da Associação Cultural e Recreativa Passilgueirense de Paços de Silgueiros – Pátio da FLL, 19h00.

Concerto Jazz pelo quarteto “Coisas do Jazz”

No passado sábado dia 27 de junho, a Fundação Lapa do Lobo recebeu o Espetáculo Musical “Coisas do Jazz”, pelo quarteto de Jazz composto pelos prestigiados músicos:
Michael Kotzian (piano), Zé Lima (contrabaixo),Leandro Leonet (bateria) e Cláudia Franco (voz).
O espetáculo teve lugar no novo espaço exterior da Fundação, recentemente recuperado, este magnifico pátio e jardim, deu o mote para um momento particularmente agradável, numa noite de verão fantástica e com um magnifico concerto. Os temas apresentados foram desde temas do cancioneiro norte americano, até a alguns temas vindos do Brasil, de autores como Tom Jobim.
Magnificamente interpretados pela cantora Cláudia Franco e brilhantemente acompanhados pelos músicos do quarteto.
Foi a primeira vez que a Fundação trouxe uma proposta de jazz e a recetividade do público não poderia ter sido mais positiva.
Seguramente uma proposta a repetir.

 

Pensar Alto – 5.ª Edição

Voltar atrás

No passado domingo, dia 14 de junho, realizou-se no Auditório Maria José Cunha da Fundação Lapa do Lobo, a 5.ª Edição do “Pensar Alto” – Encontro de Oralidade do Clube da Oralidade do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, e cuja Mentora do Projeto é a Doutora Carla Marques. Este encontro anual que completou a 5.ª Edição, junta alguns dos alunos finalistas do Agrupamento de Carregal do Sal, e não só, nesta edição e à semelhança do ano passado participaram também alunos dos 10.º e 11.º Anos. O tema proposto e trabalhado pelos alunos este ano foi: “Sentimentos. Que sentimentos?”.
Foram 11 os jovens alunos a participar e as abordagens ao tema, foram todas bastante interessantes. Algumas refletiram resultados de inquéritos junto da população, outras tiveram uma caráter mais pessoal e emotivo até. Afinal foi de sentimentos que se falou, o que por si só já é um tema bastante delicado e que mexe com o Eu e a relação com o Outro. Foi de relações que se falou, de inteligência emocional, e de emoções que precisamos partilhar e exorcizar. Falou-se dos sentimentos associados à perda de alguém, dos sentimentos dos animais, dos sentimentos partilhados e vividos na solidão. Falou-se de carinho, de amizade e de amor. Mas também se falou de raiva, de desprezo, de desconfiança.Falou-se da vida, e de todos os sentimentos que todos os dias nos enchem. Perante um Auditório cheio, por muitos familiares, amigos e professores dos alunos que tiveram a coragem de diante de um público falar de sentimentos, viveram-se momentos de grande emoção numa tarde de verdadeira partilha de experiencias e de afetos. No final, o público presente teve também oportunidade de colocar algumas questões e apresentar a sua opinião perante o tema proposto.Foi uma vez mais uma tarde de enorme aprendizagem! E como bem disse a Doutora Carla Marques – grande Mentora e Dinamizadora deste projeto, “vamos daqui sempre muito mais ricos, estas experiencias fazem-nos sempre Pensar Alto”.

Santo António – Marchas e Arraial Popular 13.06.2015

Voltar atrás

Pelo 5.º ano consecutivo e em resultado da parceria entre a Comissão Organizadora das Marchas de Santo António, Constituída por : Amélia Domingos, Catarina Fonseca, Associação Desportiva e Cultural Lapense e Junta de Freguesia de Lapa do Lobo e com o apoio da Fundação Lapa do Lobo, saíram à rua as Marchas de Santo António.
As festividades iniciaram com o desfile da Marcha de Santo António que se iniciou no Largo dos Pinas até ao Terreiro das Almas, onde decorreu a apresentação das coreografias, Terreiro este que estava enfeitado a rigor para receber o arraial. Foram padrinhos da marcha o Encenador António Leal e a sua esposa Sandra Leal. Uma vez mais e à semelhança dos anos anteriores coube a Sociedade Musical 2 de Fevereiro de Santar acompanhar musicalmente a marcha, e as vozes estiveram a cargo do Grupo de Cantores e Cantadeiras que é ensaiado pela Professora Carla Loureiro, foram apresentadas as músicas coreografadas, momento este bastante aplaudido pelo elevado número de público presente, que mesmo com a presença da chuva não quis deixar de apoiar e aplaudir todos os marchantes.
Momento marcante desta apresentação foi a estreia da música “Marcha das águas” da autoria (letra e música) da Catarina Fonseca.
Após este momento, Amélia Domingos e Catarina Fonseca, subiram ao palco e fizeram os respetivos agradecimentos a todos os que de alguma forma contribuíram para a realização dos festejos, de salientar toda a ajuda do Paulo Simões que foi responsável pelas coreografias e arcos que representavam os antigos chafarizes e fontes da nossa aldeia. Depois dos agradecimentos devidos foram chamados a palco o Dr. Carlos Torres e a sua esposa Eng.ª Carmo Batalha – Administradores da Fundação Lapa do Lobo, que é a Entidade patrocinadora das festas de Santo António e que foram brindados com um forte aplauso e com a oferta dos tradicionais manjericos.
Seguiu-se mais um dos momentos altos da noite o majestoso fogo de artifício, que durante cerca de 15 minutos iluminou por completo os céus da Lapa do Lobo.
As festividades seguiram com a atuação bastante animada da Tunadão de Viseu, depois desta mais um dos momentos altos da noite, a atuação do Grupo “Banda Não Tem” este grupo trouxe aos festejos músicas de outros tempos, e foi entusiasticamente recebido e aplaudido, juntos em palco estiveram 10 músicos, de antigas formações musicais, como por exemplo o “Vértice”, “Formação” “7.º Mandamento” e “Festa Brava” estes músicos pela mão do Lapense Pedro Fonseca, reuniram-se propositadamente para esta atuação, deixando rendidos todos os presentes.
Seguidamente e à semelhança dos anos anteriores, foi a vez do Grupo Paracetamole Band de Canas de Senhorim, subir a palco, para e como já vem sendo hábito, pois este Grupo é presença desde a primeira hora nestas festividades, animar os presentes com a sua atuação.
Neste arraial, não faltaram as sardinhas assadas, o caldo verde e a ginjinha, servidos no bar da Associação Desportiva e Cultural Lapense, presentes também as barraquinhas dos meninos do
Atelier das Artes da Fundação Lapa do Lobo, e no ar o aroma do rosmaninho vindo da fogueira de Santo António. E que para o ano que vem a tradição se volte a cumprir!!!
De preferência sem chuva!

O

1ª Caminhada de Santo António

Voltar atrás

Na Lapa do Lobo, o dia de Santo António começou com uma caminhada de, aproximadamente, 8 quilómetros. No passado dia 13 de junho de 2015, o projeto “Lapa Saudável”, promovido pela Fundação Lapa do Lobo, organizou a 1ª Caminhada de Santo António, que contou com cerca de 40 participantes,  dando continuidade às caminhadas realizadas em eventos anteriores. Depois do encontro no Jardim Fundação Lapa do Lobo, seguiu-se pelo “Caminho das Santas” até às Malguinhas de Santa Catarina, num percurso de, sensivelmente, 4 quilómetros. Após uma breve paragem nesse mítico local, regressamos ao Jardim Fundação Lapa do Lobo, onde a nutricionista e a enfermeira do “Lapa Saudável” – Nadine Silveira e Sofia Amaral, respetivamente – nos esperavam, com um refresco de limão e hortelã a acompanhar as Sardinhas da horta, numa alusão ao dia festivo que ali se celebrava, feitas com folha de salva, numa cortesia da Lia Alvadia. Foi também possível perceber os cuidados a ter com o calor, através de um folheto informativo distribuído pela enfermeira. De seguida, foi tempo de caminhar, numa visita guiada pelo Sr. Sousa da FLL,pelo Parque Ecológico do Vale do Lobo, projeto da FLL que visa a criação de uma zona privada de natureza e paisagem beirã e que alberga o Moinho de Vale do Lobo. Uma caminhada que afugentou a chuva e que revelou a força e vontade da população da Lapa do Lobo e arredores em manter hábitos de vida saudáveis.