Encontros da Educação e do Pensamento – Edição III

A Casa das 40 Portas

A terceira edição de “Encontros da Educação e do Pensamento”, integrada na programação do Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo (FLL), realizou-se no dia 23 de outubro de 2021, em vários espaços da FLL, com o tema “Pensamento na Infância”. Este ano, para além da versão presencial, a conferência contou com a emissão digital em direto, possibilitando, assim, o acesso a um maior número de interessados.

A maior parte das pessoas presentes no Auditório Maria José Cunha deslocaram-se do concelho de Carregal do Sal, representado ainda por vários elementos da Câmara Municipal e da direção do Agrupamento de Escolas. A direção do Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim também se fez representar.

Durante a manhã, decorreram três oficinas dirigidas a famílias, num total de cerca de 60 participações, a partir de práticas e metodologias ligadas à filosofia (“Oficina de Mistério”, com a filósofa Rita Pedro), ao treino metal (“Mente, para que te quero?”, com as escritoras Margarida Fonseca Santos e Isabel Peixeiro) e à investigação (“As pessoas que eu sou”, com a neurocientista Ana Rita Fonseca). Em conjunto, crianças e adultos experimentaram exercícios de questionamento, atenção, concentração, tomada de decisão e autoconhecimento.

Da parte da tarde, os “Encontros” contaram com as comunicações de Rita Pedro, Margarida Fonseca Santos e Isabel Peixeiro e Ana Rita Fonseca, convidadas também para a dinamização das oficinas. A introdução da conferência ficou a cargo de Carlos Torres, Presidente do Conselho de Administração da FLL, e de Ana Lúcia Figueiredo, Coordenadora e Programadora do Serviço Educativo da FLL e moderadora da conferência. 

A primeira oradora, Rita Pedro, especialista em filosofia com crianças, apresentou a comunicação “Um Devir-Criança da Filosofia”, lançando ideias como: o devir-criança permite um resgate da infância; as crianças têm algo de novo a dizer, que nunca foi dito; quando as crianças brincam, não seguem o tempo cronológico, mas um tempo sem medida; a infância como estado pode surgir em qualquer idade; o não-saber é uma força que desencadeia o pensamento e o espanto; a filosofia reclama para a infância um estatuto ontológico, o que implica um novo olhar sobre a criança.

As segundas oradoras, Margarida Fonseca Santos e Isabel Peixeiro, especialistas em leitura e escrita, apresentaram a comunicação “Crescer brincando a sério com as palavras”, sugerindo que: escrever com prazer conduz à curiosidade pela leitura; há que privilegiar a curiosidade na aprendizagem; a reescrita, como ação sobre o texto, é a única ciência da escrita; ao escrever, estamos a experimentar o mundo e a criar novos mundos.

A terceira oradora, Ana Rita Fonseca, especialista em neurociência, apresentou a comunicação “Um cérebro, um corpo e muitas direções”, sobre conceitos como: a nossa humanidade e identidade vêm das brincadeiras; na aprendizagem, todas as áreas do cérebro estão integradas; precisamos de pausas para o cérebro adquirir novos conhecimentos; é da flexibilidade de pensamento que vem o bem-estar; o cérebro não é nada sem o resto do corpo.

No final, a palavra passou para o lado da plateia, que partilhou comentários e questões muito pertinentes, a partir da prática educativa de cada um, permitindo aprofundar a temática em discussão.

Retomando um excerto do poema que inspirou o pensamento, a preparação e a divulgação desta edição dos Encontros: “Sou o pássaro que canta / dentro da tua cabeça (…) Sou o pássaro que voa / dentro do teu coração (…) Sou o pássaro da imaginação / que voa até na prisão.” (“O Pássaro da Cabeça e mais versos para crianças”, de Manuel António Pina).