LUGARES PARA VIAGEM

No passado dia 13 de janeiro, às 21h30, foi inaugurada, na Galeria da Fundação Lapa do Lobo (FLL), a exposição de fotografia “Lugares para Viagem”, de Duarte Belo. Esta exposição é a expressão de um projeto artístico, educativo e documental mais complexo sobre a memória, associada ao património natural e cultural da região.
O autor, Duarte Belo, percorreu o eixo entre Nelas e Carregal do Sal, com uma paragem mais demorada na Lapa do Lobo, mas visitou também outros sítios envolventes a esta linha. Montes e vales, quatro vilas, numerosas aldeias, campos agrícolas, floresta e também a destruição causada pelos incêndios recentes. Fotografou numerosos lugares na procura da identificação dos espaços pela fotografia, na caracterização das paisagens e arquiteturas. Reuniu algumas das fotografias para as partilhar numa exposição que se deseja participada, como construção de um olhar coletivo sobre nós próprios, os lugares que habitamos, a nossa casa. Pretendeu-se, assim, estimular o diálogo em torno dos valores da terra e as memórias das comunidades, fixar um momento presente, interpretar o passado, olhar para o futuro.
O programa de inauguração desta exposição contou com o discurso inicial de Mariana Torres, curadora da Galeria da FLL, seguido da projeção do filme “A Luz da Terra Antiga”, apresentado pelo próprio realizador, Luís Oliveira Santos. Duarte Belo contextualizou, depois, o projeto no âmbito do seu trabalho de registo sobre o território português, convidando o público para uma visita guiada pela exposição.
Ao longo dos próximos meses, o Projeto Alcateia – Serviço Educativo da FLL dará continuidade a este projeto, com a participação de Cristina Nogueira e Duarte Belo, através de “Percursos Criativos”, que são propostas educativas de descoberta e experimentação, a partir da exposição patente na Galeria da FLL, à qual serão acrescentados contributos por parte de diversos públicos (crianças, jovens e comunidade em geral). Através dos conceitos de Memória, Diálogo e Inscrição, desenvolver-se-ão ações de sensibilização, valorização e promoção do património e da paisagem. A imagem fotográfica será o suporte privilegiado para potenciar novos olhares e afetos sobre o espaço e o tempo do território, porque, como afirmou o geógrafo Orlando Ribeiro, “A terra de um povo já não é um simples dado da natureza, mas uma porção de espaço afeiçoado pelas gerações…”.

(Fotografias de Cristina Nogueira)