Apoios Estudantis para o Ano Letivo 2019-20

Abertura do Período de Candidatura:

O período de apresentação de candidaturas decorre de 1 de agosto a 11 de outubro de 2019.
Para mais informações consultar o Regulamento 2019-20 das candidaturas aos apoios estudantis da FLL relativo ao referido ano letivo, disponível na página da internet da Fundação, em Atividades e Apoios / Apoios Estudantis.

ECOS – Espaço.Corpo.Objetos

O Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo deu as boas-vindas às férias de verão, entre os dias 1 e 5 de julho, com a proposta ECOS – Espaço.Corpo.Objetos, uma oficina criativa de malabarismo e manipulação de objetos, criada e orientada por António Franco de Oliveira, da companhia Radar 360º.

Um grupo de 20 crianças e jovens, com idades entre os 6 e os 14 anos, experimentaram as artes circenses, reconhecidas como disciplinas exigentes e simultaneamente lúdicas, potenciando capacidades psicomotoras, como a concentração, a autoconfiança, a coordenação, a resistência e a imaginação. Todos os participantes foram desafiados a interpretar o objeto enquanto corpo animado e, inversamente, o corpo como objeto.

No final, os pais, familiares e amigos foram convidados a assistir a uma breve apresentação pública, durante a qual tiveram também oportunidade de testar alguns exercícios, de forma informal e divertida.

Estas oficinas de férias pretendem criar espaços de liberdade de expressão e de criação, promover novos recursos criativos e estimular competências expressivas, criativas e afetivas.

2

Picture 1 of 2

 

 

Dmitri ou o Pecado

A partir de “Os irmãos Karamazov” de Fiódor Dostoiévsk de Sónia Barbosa

06 de julho 2019 – 21.30 – Pátio da Fundação Lapa do Lobo

Inauguração da Exposição “Enquanto Cresce uma Nogueira”

Na passada sexta-feira dia 01 de Março, inaugurou-se na Galeria de Exposições da Fundação Lapa do Lobo a Exposição de fotografia – “Enquanto Cresce uma Nogueira” de Afonso Sereno. A par desta inauguração foi também apresentado o livro “Travel Diaries” que mais não é do que um Diário de Viagens que o Autor lançou em 2018 a partir duma campanha de Crowdfunding. Perante muitos familiares e amigos do autor, o Dr. Carlos Torres – Presidente do Conselho de Administração da Fundação apresentou o jovem Afonso Sereno e explicou de que forma o conheceu e como se desenvolveu todo o processo de trazer até à Fundação esta exposição. Afonso Sereno, é um jovem de 23 anos apaixonado pelas viagens e pela fotografia e tem ao longo dos últimos anos viajado pelo mundo, grande parte das vezes à boleia, registando em fotografia as imagens que mais o vão marcando por onde passa. Apaixonado também pela escrita, principalmente na sua vertente de poesia, vai também escrevendo poemas e memórias das suas aventuras em viagem. Biografia do Autor (nas suas próprias palavras): “Foi sem noções técnicas e com pouca experiência que fotografei um projeto social na Guatemala em 2014. desenvolvi a paixão pela fotografia num ramo mais documental, no qual o objetivo é embelezar as memórias que guardo. Estudei, viajei e aprendi. Ao longo dos últimos três anos dividi-me entre a vida social, as viagens, a escola e vários trabalhos. Em Junho de 2018 lancei um livro a partir de uma campanha crowdfunding – Travel Diaries. Gosto de deixar que as oportunidades do presente influenciem o meu futuro. E deixar que a naturalidade das coisas me mostre quem já sou. Chamo-me Fernando Guilherme Nogueira Sereno Afonso, tenho 23 anos e estou feliz enquanto estiver a aprender.”

UM CAPÍTULO SOBRE POESIA

“Por dentro da rapariga

por dentro da suite sem vista,

a cidade prateada”.

 

Foi com palavras de Inês Fonseca Santos, uma das convidadas especiais, que se deu início a mais uma, a 10ª, edição de “Um capítulo sobre…”, no passado dia 23 de fevereiro de 2019, na Fundação Lapa do Lobo.

A poesia foi o tema escolhido. Inês Fonseca Santos e João Paulo Cotrim – na companhia de Rui Fonte, coordenador da Biblioteca da FLL, no âmbito da qual se promove esta iniciativa – falaram sobre poesia, a sua atualidade, pertinência e lugar no contexto literário português. Perante uma plateia atenta, onde se notou a presença de autores locais e membros da Rede de Bibliotecas de Nelas, “Um capítulo sobre poesia” demorou-se pela noite dentro, como as palavras se demoram em nós sempre que as descobrimos e reencontramos nos livros e nas vozes dos poetas.

A VIDA E A OBRA DO SENHOR SATIE CONTADAS AO PIANO

A pianista Joana Gama foi a convidada do Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo (FLL), entre os dias 11 e 16 de fevereiro, para a apresentação de 12 concertos baseados na obra do compositor Erik Satie, aos quais assistiram 870 pessoas, no Auditório da FLL.

“Eu gosto muito do Senhor Satie”, um concerto comentado para crianças, foi a proposta dirigida a todas as crianças do 1º Ciclo do Ensino Básico dos concelhos de Carregal do Sal e de Nelas, que teve também uma sessão especial dedicada às famílias.

E como era o Senhor Satie? O Senhor Satie gostava muito de andar. Bom, talvez não gostasse assim tanto, mas não tinha alternativa: como não lhe sobrava dinheiro, fazia diariamente longas caminhadas, pois não podia pagar o comboio que ligava a sua casa ao centro da cidade de Paris, onde passou grande parte da sua vida. Para além de compositor de música – o piano foi o seu instrumento de eleição -, o Senhor Satie gostava de guarda-chuvas, de desenhar e de marisco. Era uma pessoa solitária, mas com muito humor.

Para além da interpretação de várias peças de piano, Joana Gama contou histórias e curiosidades sobre a vida e a obra do compositor francês, com o apoio das ilustrações de Paula Cardoso, terminando cada concerto com uma conversa informal, durante a qual as crianças partilharam sensações, comentários e questões como: “Por que é que tocas tão rápido, Joana?”; “Como é que se apaixonou pela música do Senhor Satie?”; “Queria dizer que a Joana toca muito bem piano. Parabéns!”; “Onde se pode aprender a tocar bem piano?”; “Quantos metros tem o piano?”; “Eu também tenho um  caderninho, como o Senhor Satie.”; “O Senhor Satie gostava mais de música clássica ou de música pop?”;  “E, se não soubermos o caminho, para fazer uma caminhada [como o Senhor Satie]?”; “Esta música [Ogiva] era inspiradora!”; “Quantas horas toca por dia?”; “Como é que sabes tudo sobre o Senhor Satie?”; “Hoje, a minha professora não pôde vir, por isso vou fazer um desenho para lhe mostrar como foi o concerto.”; “Por que é que algumas músicas são alegres e outras não?”; “Queria ouvir mais músicas…”.

Estes espetáculos ficaram marcados pela surpresa e pelo entusiasmo das crianças, que, na sua maioria, vivenciaram pela primeira vez um concerto de música clássica, cujos objetivos foram promover a sensibilidade estética e artística, proporcionar a fruição de formatos artísticos pouco acessíveis à infância e estimular competências expressivas e criativas, através da contemplação musical.

O recital de piano “I Love Satie”, aberto ao público em geral, aconteceu na noite de sábado, criando uma oportunidade de contacto com a música clássica e a sua interpretação ao vivo a uma plateia interessada e surpreendida pela capacidade de a pianista tocar todas as peças de memória, sem pauta.

Joana Gama trouxe a público este novo recital, que seguiu a mesma ideia do recital de 2016 (por ocasião do lançamento do disco SATIE.150): intercalar a obra multifacetada de Satie com a de compositores que o seguiram na exploração do som sem constrangimentos estéticos ou formais. Neste recital, as obras de Erik Satie – que convocam ambientes solenes, melancólicos e até dançantes – convivem com as de Marco Franco, Federico Mompou, Morton Feldman, John Cage e Vítor Rua, num delicado jogo de afinidades.