DEIXA-ME SER…

Nos dias 20, 21, 22, 24, 26, 27 e 28 de abril, o Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo apresentou 16 sessões do espetáculo de teatro “Deixa-me Ser”, em mais uma coprodução com as Comédias do Minho, ao qual assistiram 820 pessoas, entre pais e filhos, alunos e professores do 1º Ciclo do Ensino Básico dos Agrupamentos de Escolas de Canas de Senhorim, Carregal do Sal e Nelas.
Quem nunca ouviu, a determinada altura na vida, a pergunta “O que queres ser quando fores grande?”? A partir desta questão, que impõe à infância uma espécie de futuro antecipado, desenvolveu-se um espetáculo-jogo, em (des)equilíbrio entre realidade e imaginação, num ambiente a preto e branco, onde todas as escolhas são possíveis.
Mas, “Afinal, o que é ser grande? Se calhar, é quando tiver a resposta. Se calhar, ser grande é ter as respostas. Saber das coisas. Porque cai a chuva? Porque se mexe a lua? Mas, então, nunca ninguém era crescido.” Esta é uma das falas do espetáculo, cuja proximidade lúdica com o público suscitou reflexões profundas e surpreendentes sobre o tema da infância, nas conversas finais entre artista e crianças. Foram partilhados pensamentos e sensações como: “[A personagem] era uma criança indecisa, se queria crescer ou não”; “[O espaço branco do cenário] é a zona da imaginação dele”; “Eu gostava de perguntar às pessoas adultas que aqui estão se queriam voltar a ser crianças!”; “Eu gostei deste teatro, porque demonstra algumas coisas que nós gostávamos de fazer e que não podemos, porque os nossos pais não nos dão tanta liberdade”; Isto foi um teatro com ligação à realidade e à imaginação”; “[Ele está todo de branco] porque ele disse que, quando for grande, quer ser tudo. Então, aquilo quer dizer a imaginação dele, está tudo em branco e vai pondo a sua imaginação”; “Este espetáculo parece uma mistura do Dia da Criança com o Dia da Liberdade”… A liberdade de ser e de crescer, a brincar.
No livro “O Brincador”, escreve Álvaro de Magalhães: “Quando for grande, não quero ser médico, engenheiro ou professor. Não quero trabalhar de manhã à noite, seja no que for. Quero brincar de manhã à noite, seja com o que for. Quando for grande, quero ser um brincador.”
Foi também este pensamento sobre a infância, que remete para o direito a brincar (juridicamente consagrado), que inspirou a equipa artística deste espetáculo, constituída por Luís Filipe Silva (criação), Nuno Preto (criação e interpretação), Ricardo Alves (apoio à dramaturgia) e Inês Mariana (cenografia).
Com esta proposta, procurou-se sensibilizar para a importância do brincar; envolver as crianças na reflexão e no debate em torno de temas pertinentes, como a infância, o crescimento e a educação; estimular competências expressivas, criativas e afetivas; promover a sensibilidade estética e artística.

IDEIAS FIXAS

Nos dias 10, 11, 12 e 13 de abril, o Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo (FLL) dinamizou a oficina de teatro IDEIAS FIXAS, com orientação do ator Nuno Preto. Inspirada no universo temático e artístico do espetáculo “Deixa-me Ser” – que será apresentado, na FLL, entre 20 e 28 de abril -, esta oficina contou com a participação de 16 crianças e jovens com idades entre os seis e os 14 anos.
Há quem tenha muitas ideias, há quem não faça ideia nenhuma e há quem seja de ideias fixas! Neste laboratório de teatro, houve espaço para todas as ideias (e para a ausência delas também), exploradas com humor, através da improvisação e da reflexão. Com base em técnicas tipicamente clown, trabalhou-se o conceito do corpo físico da imaginação, procurando estimular a expressão criativa e o desenvolvimento pessoal.
Entre o “eu” e o “outro”, surgiram manipulados a manipuladores, palavras sussurradas e movimentos poéticos, gritos e gestos, malas de viagem e fios invisíveis, humanos conformados e marionetas revoltadas, gargalhadas e pés descalços… E magia!
Os principais objetivos desta proposta, para as férias de Páscoa, foram: criar espaços de liberdade de expressão e de criação; promover a expressão dramática e o teatro como recursos criativos; estimular competências cognitivas, expressivas e sociais; proporcionar a descoberta e a experimentação partilhada, em processos artísticos de criação; suscitar a reflexão e o debate em torno de temas pertinentes, como a infância, o crescimento e a educação.
Como habitualmente, a última sessão da oficina terminou com uma breve apresentação pública, através da qual os participantes tiveram oportunidade de partilhar o processo de trabalho com familiares e amigos.

Curso de Manualidades

Pretende a FUNDAÇÃO LAPA DO LOBO iniciar um novo curso de:
MANUALIDADES

Este curso iniciar-se-á em 08 de MAIO DE 2017 e terá uma duração de 1 ANO.
As actividades decorrerão no Espaço Multifuncional da Fundação Lapa do Lobo, às SEGUNDAS-FEIRAS entre as 18h00 e as 20h00.
Monitora: Adélia Alvadia.
Público-Alvo: ADULTOS
NÚMERO DE VAGAS: 10

INSCRIÇÃO EM REGIME PRESENCIAL, NO EDIFÍCIO MULTIFUNCIONAL DA FUNDAÇÃO A PARTIR DE 2.ª FEIRA DIA 24 DE ABRIL, ENTRE AS 18H00 E AS 20H00.

Santo António – Inscrições Abertas

Marchas Populares de Santo António

Inscrições para Marchantes e para Grupo de Cantares:

-Encontram-se abertas as inscrições para a Marcha Popular de Santo António, que irá realizar-se no dia 17 de Junho.

 

Assim, os interessados em fazerem parte, devem fazer a sua inscrição na Fundação Lapa do Lobo entre os dias 17 e 30 de Abril.

Inscrições dos 5 aos 95 anos!

PALESTRA “A INFÂNCIA NO TEMPO” NA FUNDAÇÃO LAPA DO LOBO

No passado sábado, dia 1 de abril de 2017, o Auditório Maria José Cunha recebeu Paula Pranto, para uma palestra sobre “A Infância no Tempo”, onde se abordaram diferentes temáticas centradas, essencialmente, no brincar de hoje, com a convidada a expor algumas ideias, conselhos e técnicas para profissionais e famílias.

Esta Palestra incluiu-se na sequência de atividades realizadas no âmbito da Exposição “A Infância no Tempo”, patente na Galeria da Fundação Lapa do Lobo, desde 14 de janeiro até 29 de abril. Uma exposição que conta com uma mostra de brinquedos antigos (espólio particular de Germano Simão); com um documentário vídeo e depoimentos escritos sobre as brincadeiras de Infância na Lapa do Lobo ao longo do último século.

Paula Pranto é autora do livro “Eneagrama e Foco: A caminho do seu melhor”, editado pelas Edições Mahatma, mas a noite abraçou muitos outros assuntos, assentes nos tipos de personalidade e relação entre pais/filhos e educadores/ crianças.

Num ambiente informal, muito bem conduzido pela convidada, os presentes tiveram oportunidade de ouvir e partilhar algumas experiências relacionadas com a temática que a todos nos preocupa.

Esta foi a 2.ª vez que Paula Pranto esteve na Fundação.

Já em 2015 tinha estado a convite do Serviço Educativo, em contexto formativo.

 

Presidente da República visita Fundação

Como é do conhecimento geral, a Fundação Lapa do Lobo teve a honra de ser visitada pelo Senhor Presidente da República, Prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa, no último dia 3 de Abril.
Foi um dia inesquecível não só para todos os que trabalham e colaboram com a Fundação Lapa do Lobo, como também para todos os lapenses que em grande número se juntaram ao acolhimento ao Sr. Presidente da República.
Estiveram ainda presentes várias autoridades e outros ilustres convidados, tais como o Senhor Bispo de Viseu, Presidentes e Vereadores das Câmaras Municipais de Nelas e Carregal do Sal, Presidentes das Assembleias Municipais de ambos os concelhos, Presidente da Junta de Freguesia da Lapa do Lobo, Diretores dos Agrupamentos de Escolas da área, Comandante Territorial de Viseu (GNR), etc, etc.
Foi visível o contentamento do Senhor Presidente da República durante toda a visita, tendo prolongado a sua presença muito para além do tempo inicialmente previsto.
Brindou ainda todos os presentes com um discurso (não previsto) extremamente emotivo, onde deixou claramente transparecer a sua admiração pelo projecto da Fundação Lapa do Lobo e o seu conhecimento do mesmo, tecendo palavras elogiosas que calaram muito fundo no coração de toda a assistência.
Muito obrigado, Senhor Presidente da República, pela forma tão amistosa e afectiva como nos distinguiu!

APRENDER EM COMUNIDADE

No dia 25 de março, o pedagogo José Pacheco regressou à Fundação Lapa do Lobo (FLL), a convite do Projeto Alcateia – Serviço Educativo da FLL, para dinamizar uma ação de formação dirigida a agentes educativos interessados em conhecer e/ou implementar novas construções sociais de aprendizagem.
Apesar de a lotação estar inicialmente limitada a 20 pessoas, devido à grande procura, esta ação contou com 31 participantes, oriundos de vários pontos do país: do Porto a Lisboa, de Coimbra a Vila Real, de Viseu a Armamar, de Santa Comba Dão a Mangualde, sem esquecer localidades mais próximas, como Canas de Senhorim, Nelas, Oliveirinha, Caldas da Felgueira ou Aguieira.
A partir do conceito de “comunidade de aprendizagem”, procurou-se responder a questões como: O que é uma escola? Como pensar o espaço escolar para a diversidade e a inclusão? Quais as metodologias de uma educação para a autonomia e a cidadania? Para José Pacheco, idealizador da Escola da Ponte e mentor de projetos educativos espalhados pelo mundo inteiro, “escolas são pessoas, pessoas são seus valores”. E, nesse sentido, é necessário aprender a aprender em comunidade, para uma educação mais humana, integral e sustentável.
O périplo que o pedagogo, residente no Brasil há vários anos, fez por Portugal, ao longo do mês de março, terminou na FLL, deixando para trás a partilha de experiências transformadoras, a inspiração para agentes de mudança e a germinação de núcleos de trabalho. Para e por uma nova educação no século XXI.

FUNDAÇÃO LAPA DO LOBO CELEBRA O DIA MUNDIAL DO TEATRO COM RADIONOVELA

Numa criação artística conjunta com a Fundação Lapa do Lobo e o Trigo Limpo Teatro ACERT foi gravada e emitida, no âmbito do Dia Mundial do Teatro, o teatro radiofónico “A COMÉDIA DA MÁSCARA”: um texto teatral que foi emitido em 14 de Março de 1971, na então Emissora Nacional numa adaptação de Jorge de Filgueiras do texto original do dramaturgo francês Jean Variot que contou com a interpretação de Ruy de Carvalho, Carmen Dolores, Joaquim Rosa, Helena Félix, João Perry, Manuel Correia, Canto e Castro e Armando Cortês e a direção de ensaios de Álvaro Benamor.

A Versão atualizada, de 2017, assim como a Direção Artística e Formação de Atores, foi da responsabilidade de José Rui Martins (ACERT) e contou com a Dramaturgia de José Rui Martins e Rui Fonte; adaptação livre e interpretação de músicas de Pixinguinha por Luísa Vieira, sonorização de Luís Viegas e interpretação de AMEF; Ana Matias; Bruno Cardina; Clotilde Santos; Cristina Pedrosa; Dores Marques; Inês Gonçalves; João Rui Sampaio; Jorge Justo; Jorge Nascimento; Leta Pires Borges; Maria Aguiar e Mimi Fontes.

 

O trabalho de ensaios iniciou-se a 20 de março e resultou em duas apresentações públicas e gravações ao vivo – dia 24 de março no Auditório Maria José Cunha, na FLL, e dia 26 de março no auditório da ACERT.

A celebração do Dia Mundial do Teatro culminou com a transmissão da Radionovela “A Comédia da Máscara” durante o dia 27 de março nas rádios parceiras, FM e via Internet, designadamente: Antena livre – 89.6; Emissora das Beiras – 91.2; Rádio Limite – 89.0; Rádio Jornal do Centro – 98.0; Rádio Lafões – 93.0; Rádio Universidade Sénior de Nelas e Rádio Clube do Dão.

 

A Infância no Tempo – Palestra

Como brincam as crianças de Hoje?
Qual a relação escola/família no brincar da criança?

 

Rádio Novela – Apresentação

Rádio Novela – Apresentação
Dia 24 de Março (sexta-feira) – 21.30
Auditório Maria José Cunha, FLL