Santo António – Marchas e Arraial Popular

T DE TEATRO, DE TEXTO, DE TRANSFORMAÇÃO
“Novas escavações na Orca da Lapa do Lobo”
T DE TEATRO, DE TEXTO, DE TRANSFORMAÇÃO
“Novas escavações na Orca da Lapa do Lobo”

No passado sábado dia 11 de junho, festejou-se mais uma noite de Santo António no Terreiro das Almas.Estes festejos realizaram-se pelo 5.º ano, numa organização conjunta da Junta de Freguesia de Lapa do Lobo, da Associação Desportiva e Cultural Lapense, da Comissão Das Festas de Santo António e com o apoio da Fundação Lapa do Lobo.
As festividades iniciaram com a atuação do Grupo “Cordas e Cantos” da Sociedade Filarmónica de Cabanas de Viriato, seguidamente entrou no Terreiro das Almas a Marcha de Santo António que se apresentou com os padrinhos na frente (Sr. Manuel Freitas e Esposa) e com cerca de 20 pares trajados a rigor e com penteados brilhantemente elaborados pela Sra.Helena Marques, e com arcos alusivos ao Ciclo do pão (tema deste ano, trabalhado por Amélia Simões, Catarina Fonseca e Paulo Simões, as marchas foram sempre acompanhadas pelos arcos alusivos ao mesmo tema e foi ainda apresentada uma coreografia com um moinho do qual foram lançadas dezenas de balões nos bonitos céus iluminados e decorados com as bandeirinhas do arraial. A marcha cantou e dançou acompanhada pelo Grupo de Cantares, na sua maioria composto por pessoas da Lapa do Lobo e que se prepararam com ensaios pela mão da Professora Carla Loureiro. Coube à Banda Filarmónica de Santar acompanhar a letra com a música da marcha, esta da autoria de Catarina Fonseca.
Depois da coreografia subiram ao palco os elementos da Comissão e fizeram os devidos agradecimentos.
Foi hora de um monumental fogo de artifício romper os céus, e logo após entraram em palco os Paracetamole Band de Canas de Senhorim que animaram até de madrugada o arraial.
Não faltou a sardinha e o caldo verde, a quermesse que foi organizada pela Professora Fernanda Loureiro e pelos alunos do Atelier das Artes da Fundação, e no ar o aroma da fogueira de rosmaninho e dos manjericos que enfeitaram o chafariz onde o Santo António assistiu à bela festa.