Outros Eventos

JANEIRO e MARÇO
C.A.F.E.
Leituras partilhadas
O Café, como lugar, é ainda um dos poucos locais de encontro de pes- soas, nos intervalos de tempo de trabalho. Ou esquecendo o próprio tempo num vagar inerte. Ao redor das mesas ou junto ao balcão, assisti- mos às dissertações dos treinadores de bancada, políticos de ocasião, co- mentadores e professores da escola da vida. O C.A.F.E (Contos, Anedotas, Ficções e Escritos) é a recriação dos antigos folhetins, que irá desafiar periodicamente os frequentadores dos cafés da área de abrangência da FLL a ler em voz alta a atualidade literária, seja em forma de poema.
CRIAÇÃO E CONCEÇÃO Rui Fonte PÚBLICO‐ALVO Comunidade em geral EDIÇÃO Bimestral TIRAGEM 300 exemplares DISTRIBUIÇÃO Cafés dos concelhos de Nelas e Carregal do Sal

 

JANEIRO a ABRIL
OS DIZEDORES
Leituras
A leitura em voz alta é pouco estimu- lada na sociedade, habituada aos sus- surros e a leituras interiores no contato com o livro. “Os Dizedores” querem contrariar a relação fechada com a pa- lavra escrita ao transformá-la em pa- lavra dita. Depois da iniciativa, em 2016, do “Ler para crer”, onde se lançaram dezenas de vídeos sobre livros através das Redes Sociais, “Os Dizedores”obedecem à mesma meto- dologia, com a grande diferença da palavra dita assumir o papel principal.
CONCEÇÃO E COORDENAÇÃO Rui Fonte EDIÇÃO Semanal PÚBLICO-ALVO Subscritores da Newsletter da FLL LOCAL Através de subscrição de e-mail da FLL 

 

12 JANEIRO a 25 FEVEREIRO
REFIGURAÇÃO
Exposição de Vítor Garcia
A exposição pretende tratar, através de fotografia, vídeo e som, aspectos relacionados com o registo e documentação de obras de arte em espaço expositivo, favorecendo um tipo de registo fotográfico que, sem prejudicar a sua função documental, propõe uma abordagem que explora uma outra dimensão perceptiva, quer pela presença das sombras, criadas pela modelação da luz, quer pelos efeitos de movimento arrastado do elemento humano, num acontecimento (happening) imprevisível, observado em forma de relance. É neste contexto que se compreende o título de REFIGURAÇÃO, uma vez que as imagens expostas dão destaque a elementos visuais (sombras e arrastamentos) que, na verdade, apenas existem no espaço bidimensional da fotografia e não no espaço físico em que os objectos artísticos foram exibidos. Este trabalho surge na sequência, por um lado, da actividade de documentação das exposições de Arte Contemporânea promovidas pelo Colégio das Artes da Universidade de Coimbra, desenvolvida nos últimos anos, e, por outro, da investigação académica realizada sobre a recepção da obra de arte pela fotografia.
HORÁRIO DA INAUGURAÇÃO 21h00 LOCAL Galeria de Exposições, FLL

 

14 a 18 JANEIRO / Segunda a Sexta “FALAR EM PUBLICO”
Workshop
FORMADORA Dra. Carla Marques – Mes- tre em Linguística e Doutorada na mes- ma área; autora de várias publicações de carácter didático e de caráter linguístico:
Docente na Escola Secundária/3 de Carregal do Sal
PÚBLICO‐ALVO Maiores de 18 anos LOTAÇÃO 10 formandos HORÁRIO 18h30 às 21h30 APRESENTAÇÃO FINAL 19 de janeiro – 21h30 LOCAL Auditório Maria José Cunha, FLL

 

FEVEREIRO a ABRIL
LIDOSEACHADOS
Leituras partilhadas
Deixarão os perdidos de o ser de- pois de achados? Deixarão os li- vros de o ser depois de lidos? Ou só depois de lidos terão razão de ser? “Lidos e achados” é uma iniciativa da Biblioteca da FLL que irá provar que há livros que são um achado e merecem ser lidos, para depois serem achados por outros leitores.
Os livros abandonam as estantes da Biblioteca da FLL e encontram abrigo nas diferentes entidades acolhedoras desta iniciativa, para que possam ser achados, lidos e regularmente partilhados, numa rotatividade trimestral.
CONCEÇÃO E COORDENAÇÃO Rui Fonte PÚBLICO‐ALVO Comunidade em geral PERIODICIDADE Trimestral LOCAIS Entidades do 1o e 3o sectores

 

09 FEVEREIRO / Sábado LAVOISIER
Concerto
LAVOISIER é um duo formado por Roberto Afonso e Patrícia Relvas, que nasce com a necessidade in- terior de criar um diálogo, onde a expressão musical é elevada ao seu expoente mais sensível. A estadia em Berlim entre 2009 e 2013 criou-lhes um novo olhar e, com a distância, chegou a inevitável “saudade”.
Depois de consolidar conceptualmente o projecto na antropofagia adoptada pelos Tropicalistas brasileiros nos anos 70, o primeiro pas- so para a sua aproximação à música tradicional portuguesa teve origem no trabalho de recolha musical, le- vado a cabo por Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça. Foi através desses registos que se apaixonaram pelo canto do povo português e conheceram as suas maiores fon- tes de inspiração que são, afinal, as suas próprias raízes. E foi com esse espírito que começou a jorna- da de Lavoisier, rumo a uma maior percepção da essência musical, onde a dualidade liberdade/responsabilidade é inerente à célebre frase: “Na Natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma…”.
Este projecto tem sido apresenta- do ao vivo em Portugal, Alemanha, Holanda, Dinamarca, França, Itália e Brasil, levando assim o exploratório da música portuguesa para o mun- do. Participando em diversos festi- vais, Lavoisier trabalha também com artistas plásticos no âmbito da per- formance e composição para tea- tro contemporâneo, estreando-se em salas como o Teatro Nacional Dona Maria II em Lisboa ou o Teatro Nacional São João no Porto. Con- tam com três trabalhos fonográficos editados, todos eles através de edições de autor.
HORÁRIO 21h30 LOCAL Auditório Maria José Cunha, FLL

 

23 FEVEREIRO / Sábado
UM CAPÍTULO SOBRE POESIA
Tertúlia literária

Convidados especiais:
Inês Fonseca Santos
João Paulo Cotrim
2019 dá continuidade às tertúlias literárias da Biblioteca da FLL “Um capítulo sobre…”.
Caraterizada por uma conversa in- formal entre moderador e convida- dos, dando espaço à participação do público, o 10o Capítulo é sobre Poesia e será moderado por Hugo Amaral. Desponta do Protocolo com a ESEV – IPV, no âmbito do Projeto de Investigação Representações e Experiências da Leitura.
COORDENAÇÃO Rui Fonte MODERAÇÃO Hugo Amaral CONVIDADOS ESPECIAIS Inês Fonseca Santos e João Paulo Cotrim PÚBLICO‐ALVO Maiores de 12 anos HORÁRIO 21h30 DURAÇÃO 90 minutos LOTAÇÃO 80 lugares LOCAL Auditório Maria José Cunha, FLL

 

02 MARÇO a 30 ABRIL
ENQUANTO CRESCE UMA NOGUEIRA
Exposição e Apresentação do Livro de Fotografia: “Travel Diaries” de Guilherme Afonso
Uma viagem, um processo de procura e crescimento e, entretan- to, três anos passaram.
Depois de percorrer parte da Euro- pa à boleia, voltei a viajar e estudei fotografia. Ao fim de três anos de- cidi compilar num livro aquilo que vivi. Na viagem em que parti, com o objetivo de me conhecer a mim próprio, percebi que as pessoas ganharam importância pela opor- tunidade que me deram de absor- ver experiências.
Nesta exposição irão encontrar os meus pensamentos, reações e ati- tudes traduzidos pela evolução do meu livro, por imagens soltas e por pequenos objetos que fui recolhen- do durante a viagem. A sequência da exposição está organizada de uma maneira lógica e interlacada com fotografias da série “On the road” – um projecto fotográfico que visa documentar as estradas e aqui- lo que lhes está inerente num estilo muito próprio. Espero que quando visualizadas estas imagens sensibilizem e provoquem a criação de outras narrativas e perspectivas, frutos da imaginação de cada um. Nunca houve uma vontade expres- sa de documentar tudo o que se passava, os momentos criavam-se e captavam-me a atenção. Ao passar por aqueles lugares os meus olhos eram fotografados e só depois é que eu clicava no botão.” Guilherme Afonso
HORÁRIO DA INAUGURAÇÃO 21h30 LOCAL Galeria de exposições , FLL 

 

4a29MARÇO
DR. LEITOR
Medicação literária
É sempre extensa e variada a lista de motivos aos quais recorremos para não ler. Falta de tempo, preguiça, sono, dores de cabeça, trabalho, cansaço, preço dos livros, opções editoriais… Tudo fundamentos que, caso a falta de hábitos de leitura fosse considerada uma patologia, não seriam mais do que crónicos sintomas facilmente ultrapassáveis. O Dr. Leitor tem por missão diagnosticar a patologia que nos im- pede de ler e encontrar os remédios literários indicados para manter hábitos de leitura saudáveis.
CRIAÇÃO, CONCEÇÃO E INTERPRETAÇÃO Bruno Cardina e Rui Fonte PÚBLICO‐ALVO Comunidade em geral LOCAIS Concelhos de Nelas e Carregal do Sal

 

18 a 23 MARÇO
LEITORES DO FRAQUE
Cobradores de leitura
Os Leitores do Fraque são duas personagens que nasceram na primeira edição do “Elos de Leitu- ra: festa literária de Nelas”, orga- nizado pela Rede de Bibliotecas de Nelas. Atuam no meio da rua, para quem está em dívida para com os livros e a leitura, cobran- do uma fatura. Porém, o livro não é de recibos e o encargo a pagar assume sempre a forma de poema. Os Leitores do Fraque, desde 2016, provam que, afinal, ler não custa nada.
CRIAÇÃO, CONCEÇÃO E INTERPRETAÇÃO Bruno Cardina e Rui Fonte HORÁRIO Ao longo do dia PÚBLICO-ALVO Todos os públicos LOCAL Ruas do concelho de Nelas

 

21 MARÇO / Sábado
SAIR DA GAVETA
Encontro de autores da região
Convidados especiais:
Autores do concelho de Nelas e Carregal do Sal
Rita Canas Mendes
A 4a edição de “Sair da gaveta” regressa ao local da 1o edição: a Fundação Lapa do Lobo. No mes- mo espaço, mais de três dezenas de escritores da região, numa ini- ciativa que se alarga este ano ao concelho de Carregal do Sal. Um fim de tarde de partilha de ex- periências e sobre o percurso tri- lhado entre o manuscrito guarda- do na gaveta e a edição de um li- vro. Nesta edição, contar-se-á com a presença da convidada especial Rita Canas Mendes.
COORDENAÇÃO BFLL para a Rede de Bibliotecas de Nelas HORÁRIO 18h00 DURAÇÃO 90 minutos PÚBLICO-ALVO Todos os públicos LOCAL Auditório Ma- ria José Cunha, FLL

 

23 MARÇO / Sábado DESCOBRIR CAMILO *Vítor Blue
Camilo Castelo Branco foi um homem de alma inquieta. Escritor, cronista, historiador, entre outros, é considerado por muitos o maior autor português. Enquanto escri- tor colocou paixões, peripécias e demais experiências ao serviço da arte, estabelecendo a vida como a principal fonte de toda a sua ela- boração artística. Ficou reconhecido como profundo romancista e a sua obra é hoje uma das referências incontornáveis da literatura mundial. É este legado que o projeto Vítor Blue quer manter recordado. Num movimento inovador em que a música se confunde com a poesia e o teatro, é feita uma expedição pela obra do autor. A sessão termina com uma palestra sobre as singularidades da obra de Camilo Castelo Branco.
VÍTOR SOUSA Piano | CRISTINA SILVA Voz | TIAGO LIMA Baixo elétrico e saxofone | JOÃO REIS Guitarras e produção musical | RUI RODRIGUES Bateria PÚBLICO-ALVO M/6 HORÁRIO 21h30 DURAÇÃO 75 minutos LOTAÇÃO 150 pessoas LOCAL Pátio da Fundação Lapa do Lobo

 

6 ABRIL / Sábado BATE NA MADEIRA Lendas e ilusões
Lendas, expressões, tradições e ilusões são o mote para um serão de partilha de histórias, levadas a palco pela voz de um contador de histórias e pela arte de um ilu- sionista. As histórias contadas são heranças transportadas pelo tem- po através de diferentes gerações. As lendas do Lobo da Lapa, do Feto Sagrado, da Casa e da Bácora Russa, entre outras, para além da toponímia da região, servem de ins- piração para momentos divertidos e originais, prendendo a atenção do mais distraído e iludindo os sen- tidos do mais concentrado. É a magia das palavras a acontecer.
CRIAÇÃO ARTÍSTICA E CONCEÇÃO José Pereira e Rui Fonte INTERPRETAÇÃO José Pereira e Rui Fonte MÚSICA Nuno Carvalho PÚBLICO-ALVO Maiores de 6 anos HORÁRIO 21h30 DURAÇÃO 75 minutos LOTAÇÃO 80 pessoas LOCAL Auditório Maria José Cunha, FLL

 

13 ABRIL / Sábado II GRANDE CONCERTO DA PRIMAVERA Concerto
Participação especial:Contracanto Associação Cultural
BANDAS CONVIDADAS:
-Sociedade Filarmónica de Cabanasde Viriato;
– Sociedade Filarmónica Fraternidade de São João de Areias;
– Sociedade Musical 2 de Fevereiro de Santar;
– Sociedade Musical de Santo António de Carvalhal Redondo
HORARIO 21h30
LOCAL Centro Cultural de Carregal do Sal ENTRADA LIVRE